Atendimento: 2ª a 6ª feira 07h00 às 13h00 (Horário MS)
(67) 3209-2500

Acessibilidade

A+
A-

Temperatura

Feminicídio l Não se Cale, Denuncie.


Publicado em: 18/06/2020 17:38 | Fonte/Agência: Assessoria de Comunicação | Autor: Daiane Becker

Feminicídio l Não se Cale, Denuncie.

Pelo segundo ano consecutivo, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul realizou em 1º de junho o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. Data que foi instituída pela Lei Federal nº 5.202, em memoria à morte da jovem Isis Caroline, ocorrida em junho de 2015, que foi registrada como o primeiro caso de feminicídio no Estado.

A campanha tem o propósito de sensibilizar e conscientizar toda a sociedade de que a violência sofrida pelas mulheres muitas das vezes leva à morte violenta, divulgar os serviços e os mecanismos legais de proteção à mulher em situação de violência e as formas de denúncia.

Ações de enfrentamento à violência doméstica são realizadas de forma continuada, sendo intensificadas em campanhas pontuais como esta. Em abril deste ano o Governo do Estado, lançou a plataforma digital  www.naosecale.ms.gov.br, esta ao alcance das mulheres,  com linguagem acessível para procurar informações sobre serviços e atendimentos, além de ser um mecanismo para tirar dúvidas sobre procedimentos e legislações, possibilitando o  atendimento online, divulgando os serviços ofertados pelo governo, transmitindo informações e auxiliando vítimas de relacionamentos abusivos a buscarem ajuda.

É necessário intensificar o diálogo e a trabalhar a conscientização da sociedade sobre a violência contra a mulher e o feminicídio.

Na próxima sexta-feira ( 19.06), a prefeitura municipal de Jardim através da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação (Semasth), CRAS, CREAS em parceria com o Conselho Tutelar e o Serviço de Fortalecimento de Vínculos realizará blitz educativa em frente à Lojas Desafio, com intuito de divulgar a importância de denunciar casos de abuso e violência contra a mulher.

Segundo o secretário de assistência social, Mauro Martins Alvarenga, o isolamento social, resultado da pandemia causada pela Covid-19 fez com que as mulheres vítimas de violência ficassem mais tempo junto com seus agressores e por isso precisamos divulgar os serviços oferecidos pelo município e pelo estado, encorajando as vítimas  romper o ciclo da violência, evitando assim que estes resultem em feminicídio.

Denúncias podem ser realizadas pelo Disque 100 / Disque 180 e também com a Polícia Militar, através do 190.