Atendimento: 2ª a 6ª feira 08h00 às 11h00 (Horário MS)
(67) 3209-2500

Acessibilidade

A+
A-

Temperatura

“Em breve teremos uma ponte resistente e definitiva na região do Guardinha”, diz prefeito Guilherme Monteiro.


Publicado em: 15/03/2017 12:02 | Fonte/Agência: Assessoria de Comunicação | Autor: Tharyana Durigon

“Em breve teremos uma ponte resistente e definitiva na região do Guardinha”, diz prefeito Guilherme Monteiro.

Foto: Marcos Barros

O início do mês de fevereiro, em Jardim-MS. foi marcado por chuva intensa.  E a força da natureza trouxe prejuízos aos moradores do assentamento Guardinha e Recando Rio Miranda. A ponte que dava acesso à rodovia foi por água abaixo literalmente.

Desde então, iniciou-se uma força-tarefa para resolver a situação o quanto antes. “Quando soubemos da notícia que a ponte não tinha suportado o grande volume de água, começamos a tomar providências imediatamente; pois, as inúmeras famílias destes assentamentos dependem deste acesso para trabalharem, para trazerem o que produzem até a cidade. Enfim, não podíamos deixá-los diante do caos e ficar de braços cruzados”, disse o prefeito Guilherme Monteiro (PSDB).

Porém, a prefeitura não tinha recursos para a construção de uma nova ponte. Sendo assim, Monteiro tomou as providências cabíveis em casos como este e acionou a Defesa Civil.

No dia em que a ponte caiu, 2 de fevereiro, foi feita a nomeação dos membros indicados para a comporem a Comissão Municipal de Defesa Civil (COMDEC), bem como o Fundo Municipal de Defesa Civil (FMDC), por meio do Decreto n°037/2017. Já no dia 9 de fevereiro, o prefeito declarou estado de emergência, por meio do Decreto n° 039/2017, autorizando a mobilização do Sistema Nacional de Defesa Civil, para atuarem sob a coordenação da Comissão Municipal de Defesa Civil (COMDEC) para a reabilitação e reconstrução do cenário.

No dia 7 de março a solicitação foi reconhecida pelo governo Federal; e nesta terça-feira (14), estiveram presentes no local o secretário executivo, Sandoval Leonardo Junior, e o Major Fábio S.C. Catarineli, ambos da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. O objetivo da visita foi o levantamento de dados técnicos do desastre, bem como o conhecimento acerca da vida dos assentados e da importância da ponte para a rotina dos moradores.

A próxima etapa é a montagem do plano de trabalho, junto à Secretária de Estado de Infraestrutura. “Estamos conversando com os assentados para conscientizá-los sobre os processos burocráticos em casos como este. Precisamos respeitar e ter paciência. Eles estão cientes e tranquilos, porque sabem que estamos cumprindo com o nosso dever e sendo sinceros. Tudo vai se resolver”, explicou o prefeito.

Enquanto os trâmites para a construção da nova ponte estão em andamento, a Prefeitura Municipal de Jardim, por meio da Secretaria Municipal de Obras e da Agência Nacional de Gestão de Empreendimentos (Agesul) construíram uma passarela provisória para minimizar os prejuízos aos moradores, os quais, inclusive, não mediram esforços e também colocaram a mão na massa.

“Sabemos que a passarela não soluciona o caso. O que a população necessita é de uma ponte nova e resistente, que suporte chuvas como a do dia 2 de fevereiro, e em breve teremos. Mas, é a maneira que encontramos, dentro das nossas possibilidades, para facilitarmos o acesso dos assentados à cidade e vice-versa. Agradeço a compreensão e, principalmente, o apoio e empenho do Recanto Rio Miranda e do Guardinha neste acontecimento que pegou todos de surpresa”, concluiu o prefeito.